Cirurgia rara evita amputação em criança no Hospital Regional do Marajó


Uma cirurgia rara, de alta complexidade, foi realizada pela equipe do Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), no município de Breves, evitou a amputação da perna de uma menina de 8 anos, Deliane Silva Gama, que caiu de uma árvore e teve fratura externa da tíbia (osso da canela). O acidente exigiu o procedimento de “rotação de retalhos de pele e subcutâneo vascularizados”, que devolveu à menina a oportunidade de voltar a caminhar.

Realizado com sucesso, o procedimento contou com a atuação dos ortopedistas do HRPM, Paulo Gladstone e Kalil Antônio Kzan Pereira, e apoio de outros especialistas de São Paulo (SP) e Santarém (oeste do Pará), para garantir que não houvesse rejeição pós-cirúrgica. A técnica utilizada na cirurgia consistiu na mobilização de um retalho de tecido com base na sua anatomia vascular.

De acordo com ortopedista Paulo Gladstone, o tamanho do ferimento não permitiu a cicatrização, daí a necessidade do procedimento com a rotação de retalho vascularizado. “É um retalho pedicular, retirado da região posterior da perna. Só que esse pedaço tem que ter vascularização, senão o tecido morre. O passo posterior foi a dissecação de alguns vasos. Antes de fazer isso, limpamos a lesão e ajustamos as bordas da ferida. Vale lembrar que ela tem uma fratura, então foi necessária a colocação do Ilizarov  para estabilização da tíbia, que  permite o espaço para a realização do enxerto e, ao mesmo tempo, o aparelho  serve como uma plataforma para que a parte posterior da perna, de onde a gente retirou o enxerto, cicatrize”, detalhou o especialista do HRPM.

O procedimento é de alto custo, pois envolve material como Ilizarov (um fixador externo em aço inoxidável utilizado em fraturas expostas ou alongamentos de ossos) e profilaxia antibiótica prolongada, para assegurar o êxito do complexo procedimento, que não é realizado rotineiramente em unidades hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS). O resultado geral do procedimento foi um sucesso, informou Paulo Gladstone, condutor da equipe que garantiu a assistência para Deliane Silva Gama. A menina iniciará a fase de reabilitação com fisioterapia no próprio hospital.

O pai da paciente, Luís Roberto Gama dos Santos, 38 anos, está muito confiante com o resultado, e agradeceu o tratamento oferecido à menina.

Acidente - Deliane caiu de uma árvore no dia 28 de janeiro, e deu entrada no HRPM no dia seguinte. A família é ribeirinha, residente no interior de Breves, na localidade de Mapuá. A viagem durou cerca de oito horas de barco até a área urbana de Breves. “Quando caí não senti dor, mas depois doeu muito quando eu estava no barco. Agora está tudo bem”, relatou Deliane Gama.

Para a diretora-executiva Rejane Xavier, o procedimento “possibilitou e resguardou a qualidade de vida dessa paciente. Possibilitar a uma criança de apenas 8 anos não passar por uma amputação, não tem preço. É algo imensurável”, ressaltou a gestora.

O HRPM presta assistência de média e alta complexidade para cerca de 300 mil habitantes dos municípios vinculados ao 8° Centro Regional de Saúde, composto por Breves, Anajás, Bagre, Curralinho, Gurupá, Melgaço e Portel.

Serviço: O HRPM dispõe de atendimento ambulatorial de segunda a sexta-feira, das 7 às 18 h. O hospital está localizado na Avenida Rio Branco, 1.266, Centro. Mais informações: (91) 3783-2140/ 3783-2127.

Mais Informações Visite Nosso Canal: Portal Marajó Notícias 


Postar um comentário

0 Comentários