Em Ponta de Pedras Matadouro tem atividades parcialmente suspensas por irregularidades


O matadouro municipal de Ponta de Pedras, no Marajó, teve suas atividades parcialmente suspensas após uma vistoria realiza pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) na última segunda-feira (7). Durante a vistoria, foi constatado que o local continua em situação precária grave, prejudicando a saúde pública, meio ambiente e a saúde dos trabalhadores no espaço.

Ainda segundo o resultado da vistoria, o local está sem higienização e material de higiene básica e não possui um veterinário responsável. O abate dos animais estaria sendo realizado de maneira cruel, feitos com vara de choque rudimentar. Também foram verificadas que as vísceras são clareadas com a utilização de CAL de construção civil.

Segundo o MP, não há triagem de gados doentes antes do abate e todos os resíduos sólidos como fezes, chifres, ossos, resto de abate, animais condenados com alterações patológicas e sangue animal são destinados diretamente para o meio ambiente e lixão, sem realização de tratamento prévio.

Em razão das graves irregularidades encontradas, o número de abates diários foi limitado a cinco cabeças, até que sejam apresentadas comprovação e frequência diária de médico veterinário e ajuste do abate humanitário do gado. Também foi suspensa a utilização de CAL para que seja adquirido produto adequado para o branqueamento das vísceras.

O matadouro tem um prazo de 10 dias para que todos os funcionários sejam submetidos a exame de saúde atualizado e que sejam providenciados equipamentos de segurança para o local.

Postar um comentário

0 Comentários