Regional do Marajó presta assistência especializada às mães com gravidez de alto risco

Regional do Marajó presta assistência especializada às mães com gravidez de alto risco

Este ano, a comemoração pelo Dia das Mães na família da professora Eliziane da Silva Correa, 35, será diferente com a chegada de sua filha, que nasceu no dia seis deste mês, na maternidade do Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves. Muito esperada, a bebê chegou ao mundo após um intenso tratamento feito por sua mãe, que passou por uma gravidez de alto risco. Eliziane faz parte da estatística de 128 partos realizados no hospital no período compreendido entre janeiro e abril de 2019.

Essa é a missão do HRPM: garantir às gestantes marajoaras um pré-natal de qualidade, um parto mais seguro e um puerpério saudável. Por isso, durante o atendimento, as usuárias têm o acompanhamento de uma equipe multiprofissional composta por obstetra, enfermeira, técnicos de enfermagem, nutricionista, fonoaudiólogo, assistente social, fisioterapeuta e psicologia que garantem segurança e conforto na assistência, como destaque para o  “Espaço para Gestantes”, onde as mães são acolhidas com o desenvolvimento de serviços que vão desde o pré-natal, passando pelos cuidados na gravidez, direitos da gestante e do seu filho, importância do aleitamento materno e com a alimentação da mãe e do bebê.

Mãe de primeira viagem, Eliziane da Silva, passou pelo atendimento oferecido pela equipe de profissionais do hospital e,  emociona-se ao falar sobre a experiência de ser mãe: “meu esposo e eu viemos de uma experiência de perda. Passei por um longo tratamento para a nossa filha. Eu tenho Síndrome do Anticorpo Antisfofolipídeo (SAF) precisei fazer uso de medicação diariamente. Tudo em prol da minha bebê que foi muito esperada e, hoje não sou apenas uma mulher, sou mãe. É uma sensação indescritível”, disse.

A SAF também é chamada de síndrome de Hughes, que é um problema crônico que faz com que o organismo comece a produzir anticorpos que afetam a coagulação sanguínea e levam à formação de coágulos que obstruem a passagem de sangue nas veias e artérias.

Segundo a enfermeira obstetrica, Leydy Ellen Teixeira, que atua no “Espaço  Gestante”, no primeiro quadrimestre deste ano, foram realizadas 679 consultas obstétricas. “As mães chegam com muitas dúvidas, inseguras, principalmente, aquelas com a primeira gravidez. Nosso papel é orientar, auxiliar essas mãezinhas e prepará-las para esse momento tão esperado”.

Além da estrutura hospitalar e seus serviços, o atendimento as usuárias conta com o Grupo de Apoio ao Aleitamento Materno Exclusivo (Gaame), responsável pelo desenvolvimento de várias atividades de educação em saúde às gestantes, entre elas, palestras, orientações sobre a amamentação, trabalho de parto e informações sobre o funcionamento do hospital no acolhimento das mesmas, que dispõem do “Espaço da Gestante”.
Além do “Espaço para Gestantes” e “Gaame” o Regional oferece ainda o espaço de “Estar das mães”, totalmente climatizado com camas e redes, de onde elas podem ficar mais perto dos seus bebês internados nas UTI´s Pediátrica ou Nenonatal, já que a demanda de prematuridade é maior. Lá, elas são capacitadas para a prática do método “Canguru” que é um modelo de assistência ao recém-nascido prematuro e à sua família, onde o bebê é colocado em contato pele a pele com sua mãe ou pai. Isso ocorre de forma gradativa, para estreitar e fortalecer os vínculos afetivos com os recém nascidos.

A dona de casa Ordilene do Socorro Barbosa, passou pela assistência oferecida pelo HRPL e só tem a agradecer. “Eu tenho 39 anos e tinha em mente que não poderia mais engravidar, porque há oito perdi um bebê e fui operada. Na época informaram que eu não podia mais ter filhos e, quando foi no passado, tive essa grande benção, engravidei do meu pequeno milagre. Fiz todo o acompanhamento aqui e foi perfeito. O cuidado que todos têm com a gente, não tem preço. Agradeço a equipe do regional por fazer parte dessa história: meu primeiro bebê ter nascido aqui. É incrível, sou mãe”.

Com intenso fluxo de atendimento, a assistência às usuárias mães do HRPM conta ainda com atendimento ambulatorial em Pediatria com suporte de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e Pediátrica, num total de 10 leitos dos 70 disponíveis, que contribui decisivamente para a assistência de usuárias encaminhas pelo 8° Centro Regional de Saúde (8° CRS), dos municípios de Bagre, Curralinho, Anajás, Portel, Melgaço e Gurupá.

Serviço: O HRPM dispõe de atendimento ambulatorial de segunda a sexta-feira, das 7h às 17 horas. O hospital está localizado na Avenida Rio Branco, 1.266, Centro. Mais informações: (91) 3783-2140 / 3783-2127.

Por Jéssica Ayres

Postar um comentário

0 Comentários