50 agentes, entre civis e militares, estão aptos para desenvolver ações de segurança nos rios


Militares de breves, soure e Abaetetuba participaram do curso prático
Mais de 50 agentes de segurança, entre policiais militares e civis, concluíram o curso prático de piloto de embarcações. As aulas práticas, último passo da formação, foram realizadas nesta sexta-feira (7), na baía do Guajará. O objetivo do treinamento é ampliar o conhecimento daqueles que são os responsáveis por garantir a segurança e o bem estar dos povos ribeirinhos, principalmente, e dos que utilizam o meio aquático para trabalhar, se locomover ou até mesmo tirar o seu próprio sustento financeiro.
Após a capacitação, os agentes de segurança estão aptos a desenvolver ações de segurança nos rios do Pará. Eles participaram da solenidade de formatura com a presença do comandante da Capitania dos Portos, Comandante da Polícia Militar e demais autoridades.

O curso, que foi promovido pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), por meio do Grupamento Fluvial (GFlu), Companhia de Policiamento Fluvial (CPFlu) e Capitania dos Portos, é importante já que o Pará possui dimensões maiores do que alguns países e necessita ter um aparato policial mais qualificado nos rios.

Período - A capacitação foi realizada no período de 3 a 7 de junho, com carga horária de 54 horas. Foram abordados diversos assuntos, entre eles, combate a incêndio, estabilidade, legislação, meteorologia, motores, navegação, poluição, Ripeam, primeiros socorros, comunicações, entre outras. As aulas teóricas ocorreram no prédio do GFlu


Segundo o diretor do grupamento, Arthur Braga, é necessário aumentar o poder de conhecimento dos agentes para poder atender a sociedade nas diversas necessidades. Nas aulas práticas, os alunos aprenderam a como pilotar lanchas de até sete metros de comprimento.
"Esse curso é importante e necessário para atuar na área ribeirinha, pois nele é possível entender a legislação, principalmente, as normas técnicas, lidar com os riscos de segurança e navegação. Isso é essencial para quem tá atuando nas embarcações do Estado. Saber a forma e as normas de funcionamento, como pilotar lanchas, ter a noção dos primeiros socorros, são vários os temas abordados, que são de extrema relevância para quem está em ações", ressaltou.

Atuação - A soldado PM Socorro desenvolve sua atividade no Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) e atua em diversos tipos de ações no meio ambiente. "O Estado tem essa malha fluvial em grande parte sua da extensão, e, como atuamos muito no interior, em ações conjuntas, é necessário fazer esse curso por conta da nossa profissão, das vertentes que atendemos e também como cidadão, pois não sabemos quando será necessário colocar em prática um atendimento de primeiros socorros, por exemplo, que aprendemos aqui. E quanto mais capacitarmos formos, mais poderemos atender a população", explicou.

Além de militares da capital, participaram também militares de Breves, Soure, Abaetetuba e outras cidades do interior do Estado.

O coordenador do curso aquaviário da Capitania dos Portos, Willamis Pinheiro, informa que não é possível fazer a navegação de forma empírica. "No curso, eles tiveram acesso teórico e prático de como navegar com segurança e respeito ao meio ambiente, além, é claro, de seguir as normas de navegação", concluiu.
( Agência Pará)

Veja as Matérias em Vídeos: Canal Portal Marajó Noticias

Postar um comentário

0 Comentários