Horta orgânica está entre as boas práticas ambientais no Hospital Regional do Marajó

O consumo de legumes, hortaliças e frutas livres de agrotóxicos e adubos químicos integram as boas práticas de gestão voltadas à preservação do meio ambiente e da vida adotadas no Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), no município de Breves. Além de manter uma horta 100% orgânica, usando apenas adubo natural, o HRPM também recicla óleo de cozinha para produção de sabão, e pretende levar esse conhecimento para a comunidade, visando à geração de renda para famílias carentes.
No Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado nesta quarta-feira (5), a equipe do HRPM realizou várias ações, como a manutenção e diversificação de folhagens usadas na alimentação diária oferecida a funcionários, usuários e acompanhantes. Os cuidados com a horta vão desde a produção do adubo até a colheita, passando pelo plantio das sementes adquiridas pela unidade hospitalar.



A horta orgânica, com 180 metros quadrados, produz 80% dos legumes consumidos no Hospital, ajudando a manter uma dieta saudável e balanceada pelo Setor de Nutrição e Dietética (SND), fundamental para a evolução do quadro de saúde dos usuários. A horta produz mensalmente em torno de 90 quilos de legumes e frutas, incluindo rúcula, alface crespa, alface lisa, coentro, manjericão, jambu, pimenta dedo de moça, limão, abóbora, abacaxi, maracujá, banana, mamão e outros vegetais.
De acordo com a nutricionista e coordenadora do SND, Renata Feio, os produtos da horta não têm substâncias químicas, como agrotóxicos, consideradas cancerígenas. "O adubo orgânico usado na produção da horta é isento de qualquer tipo de substância que possa atrapalhar o desenvolvimento sustentável da horta", garantiu. De janeiro a abril deste ano, o SDN foi responsável pela produção de mais de 91 mil refeições.

Em fevereiro deste ano o Hospital conquistou o selo Green Kitchen, que reconhece o constante aprimoramento do padrão de qualidade na produção da alimentação saudável servida aos funcionários, usuários e acompanhantes, na ambientação natural e sustentabilidade.

Adubo natural – Desde setembro do ano passado, os resíduos orgânicos produzidos na cozinha do hospital são transformados em adubo 100% natural, por meio do processo de compostagem, feito no próprio local. A utilização do adubo orgânico para a fertilização do solo é parte da diretriz de preservação do meio ambiente adotada pela unidade de saúde, eliminando totalmente o uso de fertilizantes químicos industrializados no cultivo das hortaliças utilizadas na alimentação.



A prática diminui o lançamento de resíduos em aterros sanitários e lixões, e consequentemente a poluição do solo e lençóis freáticos. Estudos desenvolvidos sobre compostagem mostram que frutas e hortaliças produzidos por esse processo crescem mais rápido e com mais qualidade.

A gestão do HRPM também investe na reciclagem do óleo de cozinha, que é transformado em sabão. O projeto será levado à comunidade local, incluindo escolas, visando à redução do impacto causado pelo descarte de óleo comestível no meio ambiente.

De acordo com a diretoria executiva do HRPM, Rejane Xavier, a produção excedente de sabão será doada a comunidades carentes, que também serão capacitadas em oficinas de produção de sabão. O objetivo é contribuir para a geração de trabalho e renda complementar para famílias carentes da cidade de Breves e localidades próximas.
Por:  Vera Rojas- Hemopa

Veja as Matérias em Vídeos: Canal Portal Marajó Noticias

Postar um comentário

0 Comentários