Produtores de cabos de vassouras já têm Certificado de Legalização em Breves

Produtores de cabos de vassouras já têm Certificado de Legalização em Breves



Nascido em Breves e criado entre os rios e florestas do Marajó, o ribeirinho Benedito Furtado Rodrigues, o "seu Nenê”, hoje com 74 anos, sobrevive há cerca de 50 anos da extração de uma madeira muito comum na região: a Virola, utilizada para confecção de cabo de vassoura. Com esse trabalho, ele criou quatro filhos e sempre se manteve produtivo, apesar do cenário de insegurança em que viveu até hoje. “Toda vez que eu tinha uma mercadoria, tinha medo que ela fosse apreendida, como já foi. Tive prejuízo, mas não desisti. Agora estou legalizado”, disse Benedito Rodrigues, após receber do governo do Estado o Certificado de Legalização nesta quinta-feira (8), durante o Programa Governo por Todo Pará, na sede do município de Breves.

O processo de legalização da atividade produtiva foi desenvolvido pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). Os certificados foram entregues pelo governador Helder Barbalho e o titular da Secretaria, Mauro O'de Almeida. “A atividade é tradicional aqui na região, mas que aos olhos da Semas nunca tinha sido legalizada. Hoje, nós estamos muito satisfeitos de ter conseguido que essa atividade tenha sido legalizada”, ressaltou Mauro O'de Almeida.



Desde o início deste ano a Semas vem intensificando o diálogo com os produtores para estabelecer normas adequadas para a produção de cabos de vassouras. Assim foi possível começar o processo de elaboração da certificação para os trabalhadores. A certificação agrega valor ao produto e amplia as oportunidades de geração de renda para a comunidade. “O dia de hoje vai entrar para a história. A mercadoria vai ter valor agregado, e isso vai melhorar a qualidade do produto e ganhar valor lá fora, gerando muito mais emprego, porque o produto agora vai ganhar prestígio. Graças a Deus que esse governo veio com essa visão, para que o ribeirinho - que é a população não só de Breves, mas de todo o Marajó -, possa ter acesso à Semas, à Sefa e a tantos outros órgãos do governo”, frisou o engenheiro ambiental Elias Sarraf de Oliveira.

Vocações econômicas - Os certificados foram entregues a quatro proprietários de pequenos empreendimentos de produção de cabos de vassouras. Segundo a Associação dos Extratores, Produtores e Comerciantes de Produtos Acabados do Marajó (Apec-Marajó), atualmente a atividade mobiliza cerca de 4 mil extratores, 170 pequenas fábricas e comerciantes locais e de outros municípios. “É preciso que a gente encontre vocações econômicas no Marajó, para que a população volte a ter emprego e melhore a renda. A Semas está deixando o estigma de Secretaria que atrapalha a atividade econômica, para ser uma Secretaria que impulsiona a economia de forma sempre sustentável. Essa é a diretriz do governador, que nós estamos tornando real na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará", garantiu o titular da Semas, Mauro O'de Almeida.


Para quem já conseguiu o certificado, a ampliação da atividade é só uma questão de tempo. “Com esse documento vamos gerar mais emprego. Vou poder chamar mais pessoas para me ajudar na produção e poder fazer melhores negócios. Estou orgulhoso com o governador, com certeza”, declarou Benedito Rodrigues.
Veja as Matérias em Vídeos: Canal Portal Marajó Noticias

Postar um comentário

0 Comentários