Feto é encontrado em navio que navega pelo marajó

Feto é encontrado em navio que navega pelo marajó

Um feto do sexo masculino foi encontrado na tarde desta quinta-feira (9) dentro do camarote de uma embarcação atracada no Porto do Grego, no município de Santana, a 17 quilômetros de Macapá. O casal que viajou no quarto não foi encontrado.

De acordo com o 4º Batalhão da Polícia Militar (4º BPM), a embarcação partiu de Belém, no Pará, na quarta-feira (8) e chegou em Santana por volta de 14h desta quinta-feira. O corpo foi encontrado por funcionários na vistoria feita após o fim da viagem.

A principal hipótese levantada pela polícia é de que a mulher teria feito um aborto no banheiro do camarote. Funcionários relataram que ouviram o casal levando baldes de água para dentro do quarto. O feto, que apresentava desenvolvimento avançado, foi encontrado na lixeira.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil, que tem uma lista com os nomes dos passageiros que estavam ocupando o camarote. Até a última atualização desta matéria nenhum dos dois foi encontrado.

A Polícia Técnico-Científica (Politec) também foi acionada para realização da perícia e remoção do feto.

Desdobramento da Historia:

Veja Matérias em Vídeos: Canal Portal Marajó Noticias

Envie informações, denúncias, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal 091992485291: Clique Aqui

Postar um comentário

9 Comentários

  1. isso não é um feto e sim uma criança seus inútil!

    ResponderExcluir
  2. Mas isso não é um feto, é um bebê

    ResponderExcluir
  3. Arrumem o título da notícia
    Isso não é um feto, e sim um bebê abortado ou nasceu e jogaram na lixeira.

    ResponderExcluir
  4. Isso não é um feto, é um bebê! Deviam ter mais cuidado e atenção ao escrever o texto a ser divulgado.

    ResponderExcluir
  5. Vocês chamam de feto e de bebê de acordo com a conveniência, de acordo com o quanto vocês alarmar as pessoas. Quando a gente chama um monte de células e veias de feto, vocês chamam de bebê.

    ResponderExcluir
  6. Primeiro que isso não é um feto, e sim um bebê. Vocês são uns bando de incompententes que não sabem escrevem uma matéria, outra coisa. Isso não veio de um aborto, veio de um nascimento e posterior homicídio contra essa criança.
    Estou denunciando essa publicação que me da desgosto, aprendam a divulgar jornalismo de verdade seus inúteis.

    ResponderExcluir
  7. Falar merda da reportagem todo mundo sabe né? Ajudar em alguma coisa quem disse que ajuda.

    ResponderExcluir
  8. Eu não se o responsável por esse site tem uma graduação em jornalismo, mas claramente isso não pode ser chamado de reportagem

    ResponderExcluir